Olá, aqui é Laís Sangali, direto da cidade do rock. Como leitora do blog, e agora redatora, resolvi mandar minha colaboração com uma breve cobertura do primeiro dia do Rock in Rio. Cheguei na cidade lá pelas dez da manhã, foi incrível a quantidade de gente que estava no local, acho que nunca vi tanta […]

Por:

Olá, aqui é Laís Sangali, direto da cidade do rock. Como leitora do blog, e agora redatora, resolvi mandar minha colaboração com uma breve cobertura do primeiro dia do Rock in Rio.

Cheguei na cidade lá pelas dez da manhã, foi incrível a quantidade de gente que estava no local, acho que nunca vi tanta gente na minha vida. Os portões abriram lá pelas três, não tive muito tempo para observar toda a maravilha do local, pois fui correndo direto em direção do Palco Mundo para pegar um lugar legal, mas o espaço é enorme.

Na abertura relembramos o incrível momento do Rock in Rio de 1985, quando Freddie Mercury cantou ao lado de Brian May a canção “Love of My Life”. Desta vez foi cantada por Milton Nascimento e com Tony Bellotto do Titãs na guitarra, e claro, com Freddie no primeiro Rock in Rio no telão. Esta parte foi realmente muito boa e emocionante, confesso que esperei muito para ir ao Rock in Rio.

Logo em seguida acontecia o primeiro show da noite, a parceria entre Paralamas e Titãs tocando seus maiores sucessos, em seguida entrava no palco Maria Gadú cantando “Lourinha Bombril”. Foi excelente, mas estava um pouco ansiosa pelos shows internacionais.

Claudia Leitte chegou com um alto astral incrível e tinha grande quantidade de fãs presentes, acho que foi uma das apresentações com mais energia da noite, a galera agitava e quase todos sabiam cantar todas as músicas. Além do seu grande repertório, fez covers da música “Satisfaction” do Rolling Stones, além de Bob Marley, Led Zeppelin e Nação Zumbi. Inclusive como ela já havia dito anteriormente, dedicava o show dela a Chico Science, cantor que faleceu em 1997 quando sofreu um acidente de carro. O show foi excelente, mas eu estava querende muito ver a Katy Perry.

Após o show veio aquela ansiedade, mas a passagem entre a Claudia e a Katy Perry até que foi rápida. Quando chegou a Katy os gritos começaram de forma ensurdessedora e ela abriu com a música “Teenage Dream”, uma de minhas favoritas, o momento foi demais pois era o que eu mais esperava na noite. Fiquei muito contente com o show, é uma das minhas artistas preferidas. E o melhor é que pudemos ouvir todos os sucessos, “California Gurls”, “Teenage Dream”, o recente “Last Friday Night” (aquele que conta com a Rebbeca Black no clipe), tocou sua música favorita (como ela mesmo disse antes de começar), a canção “Fireworks”, foi demais. E é claro, não deixou de tocar as antigas que não poderiam ser esquecidas de forma alguma: “Hot N’ Cold” e a que lançou ela para o mundo, “I Kissed A Girl”, que são as duas de que eu mais gosto. Foi mágico o momento em que ela tocou sozinha a música “Thinking of You”, só voz e violão, e o público cantando junto em coro. Como ela mesma disse, a música “Thinking of You” foi uma de suas músicas mais escutadas aqui no Brasil, apesar de não ter acontecido o mesmo em outros países, também fez uma brincadeirinha com a rivalidade entre brasileiros e argentinos. Um dos grandes momentos foi antes da música “I Kissed A Girl”, onde ela chamou um cara pra subir no palco, que teve uma conversa rápida do tipo “What’s your name?”, era Julio que vinha da cidade de Sorocaba (que inclusive causou agitação ao ser citada no palco). Julio foi beijado (no rosto) por Katy Perry e ele também resolveu voltar pra tentar dar um beijo na cantora. A animação e a energia de Katy foram incríveis, sempre chamando a galera pra cantar, sempre sorrindo, o pessoal também cantou junto várias das músicas. Mostrou grande respeito e carisma com o público, chegando a descer do palco no final da apresentação para cumprimentar os fãs.

Na minha opinião o momento de Katy Perry foi o ápice do primeiro dia do evento, o melhor show. Claro que os outros shows foram maravilhosos, mas acho que foi o mais agitado e divertido (claro que nisso também está influenciando bastante eu ser fã dela). O show do Elton John também foi legal, mas não conheço muito suas músicas então não tenho muito o que falar. A passagem entre Katy e Elton foram rápidas também, pena que foi um show em que permaneceu a maioria do tempo sentado (óbvio, porque tinha que tocar o piano), impossibilitando um pouco da interação que teria se pudesse apenas cantar, mas mostrou muito respeito levantando-se entre uma música e outra para saudar a platéia e dizer algumas coisas. Também achei que os músicos e até mesmo Elton ficaram um pouco mais distantes do que deveriam, mais para o fundo do palco. Mas tudo bem, o show foi incrível e pra quem é fã deve ter sido muito mais incrível ainda.

Logo depois do show de Elton John viria o último show, de Rihanna, e é aí que me desanimei um pouco. Não muito, só um pouco, pois já estava muito cansada e querendo ir embora logo. Mas não foi por conta do meu cansaço, foi pelo pequeno atraso para começar o show da Rihanna. Também estava ansiosa para ver ela, um leve atraso não faria mal, mas parecia que nunca começava. Mas no final valeu muito a pena, o show dela foi incrível.  Quando vi que o palco mudava e ela finalmente estava entrando me emocionei demais (nunca tinha visto ela ao vivo). O show dela foi fod# também, principalmente por conta do cansaço da galera pareceu não ser tão agitado quanto os primeiros. Os shows dela e de Katy Perry eram os mais esperados da noite, e o de Rihanna fez valer cada segundo em pé e todo o cansaço. Não sei dizer qual show gostei mais e não posso dizer ao certo, principalmente por gostar muito da Katy, mas ambos foram extremamente incríveis. Rihanna tocou seus principais sucessos, desde os mais novos como “Love The Way You Lie” e encerrando com o primeiro e mais antigo “Umbrella”.

Com o encerramento do show também se encerrava o primeiro dia do evento, pois era o último show. Na saída aquela multidão imensa de pessoas procurando a saída, como uma boiada (mas de gente) sendo tocada em alguma direção ainda não muito bem definida. Fazendo uma média o melhor show (pra mim, é claro, cada um tem “o seu melhor show”) foi o da Katy Perry, além de ser no começo, não houve nenhum problema e a cantora agitou demais a galera, foi incrível e foi provavelmente o melhor show da minha vida (pelo menos até o último dia do evento).

Por enquanto é só, espero que tenham gostado da cobertura e se possível em breve estarei fazendo a cobertura do último dia, em que tocara o Guns n’ Roses, voltem aqui para ler. Agradeço ao blog por me dar a oportunidade de contar minha experiência e expressar minha opinião e toda a emoção que passei no evento. Espero escrever novos textos em breve.


Opinião de usuários