Games Um dos principais problemas do Brasil é a falta de apoio que temos à cultura em geral, pelo contrário, muitas vezes o governo atrapalha a cultura, e falarei especificamente sobre o efeito disso na cultura pop. Nos vídeo-games temos um exemplo claro, alguns jogos de Playstation 3 chegam a custar 180 reais por conta […]

Por:

Games

Um dos principais problemas do Brasil é a falta de apoio que temos à cultura em geral, pelo contrário, muitas vezes o governo atrapalha a cultura, e falarei especificamente sobre o efeito disso na cultura pop. Nos vídeo-games temos um exemplo claro, alguns jogos de Playstation 3 chegam a custar 180 reais por conta dos impostos abusivos embutidos nos preços finais de todos os jogos vendidos, principalmente porque todos são importados. Há uma tentativa de fazer com que as pessoas evitem comprar coisas de outros países, e o meio usado para isso é aumentando os impostos de forma absurda, mas isso não deveria ser aplicado à qualquer coisa relacionada a cultura. Tentam evitar a pirataria, mas com jogos tão caros fica impossível querer pagar um produto original. Os impostos deveriam cair e deveriam existir incentivos para que as fábricas destes games venham para o Brasil, ou melhor, para que as fábricas dos próprios vídeo-games e produtoras de games se instalem no país. Para quem quer games mais baratos um bom meio de ficar por dentro e colaborar com que isso aconteça mais rápido é o projeto Jogo Justo. Já tivemos a fábrica da Nintendo no Brasil, mas acabou fechando as portas, há pouco tempo a Ubisoft abriu uma filial no país e existe a possibilidade da vinda da Konami. Agora imagine se um dia Sony, Microsoft, Nintendo e as principais produtoras tiverem fábricas aqui, em quanto seriam reduzidos os preços dos jogos e vídeo-games?

Internet

Se não bastasse o apoio nulo aos games, estão querendo controlar a forma como usamos a internet com projetos de lei, há pouco tempo atrás era muito falado no projeto de lei do deputado Eduardo Azeredo que queria proibir o livre compartilhamento de arquivos e informações pela internet. Já não basta a manipulação que temos na televisão, jornais e todos os outros meios de comunicação? Querem acabar com o único lugar em que temos liberdade de verdade, acesso à cultura e todo tipo de informação. Pessoas que em nada ajudaram com o progresso da internet querem interferir em algo que algumas pessoas lutaram tanto para chegar em algum lugar, pessoas que não criaram e nem participaram da evolução da rede no Brasil só estão ai com o objetivo de destruir. Se não nos são úteis, pelo menos não atrapalhem em algo que não devem se meter. Mesmo quem está começando a ter contato com a internet já preza muito por ela, em nenhum outro lugar temos tanto acesso à informação, música, cinema, séries, animes, jogos ou qualquer outro tipo de cultura, diretamente ou indiretamente, como temos aqui. Os tempos da manipulação e de alienação que a televisão e outros meios manipulados trouxeram ao país estão acabando, e existem pessoas que mesmo com o progresso que a internet nos traz, lutam contra isso, talvez porque isso esteja irritando muitos dos políticos que usavam os meios de comunicação antigos como forma de manipular seus eleitores e contribuintes.

Música

Na música vemos uma tremenda falta de apoio à espetáculos, festivais, à novos artistas e tudo o que se pode imaginar, mas até ai tudo bem, o problema é quando o Estado se intromete e atrapalha tudo, com leis e petições que vetam o pouco que ainda temos. O famoso festival Hollywood Rock acabou por causa de uma lei que em nada mudou, só afetou de forma negativa o cenário musical internacional no Brasil, o festival já trouxe Nirvana, Alice in Chains, L7, Pearl Jam e Silverchair, mas foi proibido com a criação de uma lei contra festivais patrocinados por marcas de cigarros e bebidas. E isso adiantou em alguma coisa? Ninguém parou de fumar e beber ou desistiu de começar por causa dessa lei sem sentido. E ficou por isso mesmo, a falta de apoio continuou e estragaram a oportunidade dos brasileiros verem várias bandas do qual eram fãs. Por que não proibem o próprio cigarro e bebida se realmente ligam pra isso? Os comerciais mais idiotas de cerveja estão no ar até hoje e ninguém moveu um dedo contra isso, na verdade eles não estão nem ai pras bandas, na verdade eles querem um povo sem cultura, fingir que se preocupam acabando com bons festivais, mas o que eles não querem é deixar de faturar uma boa grana proibindo o comércio de cigarros e bebidas. Agora, imagine se acontecesse isso com o Rock in Rio?

Como em Curitiba, só porque alguns moradores ficaram “irritados” com o “enorme” barulho, a prefeitura fechou o maior local para grandes shows da cidade, na verdade fechou o único lugar bom de verdade para grandes shows, a Pedreira Paulo Leminski. Todos os shows internacionais, desde grupos pop como o Black Eyed Peas ou bandas de heavy metal como o Iron Maiden, aconteciam na Pedreira. Como morador de Curitiba posso dizer que temos pouquíssimos shows decentes, e grandes bandas ou grupos internacionais raramente vinham à cidade, era uma ou outra por ano, agora com o fechamento da Pedreira Paulo Leminski motivada por uma petição babaca Curitiba fica definitivamente fora da rota dos grandes shows, e até mesmo acaba deixando de ter festivais com artistas nacionais. Provavelmente a reclamação deve ter vindo de uma única família esnobe, rica e com influência, pois a Pedreira existe há muitos anos e nunca houve uma reclamação, agora uns “frescos” com um pouco de dinheiro reclamam e conseguem fechar o melhor local para shows da cidade. Com certeza se o local estivesse situado em um bairro pobre os governantes nem ouviriam as reclamações. Ainda se fosse qualquer coisa, qualquer lugar, mas é o maior e melhor lugar, isso que é ter governantes e políticos “paus mandados”. Por um lado temos o notório Festival de Teatro de Curitiba, porém por outro lado a música na região está jogada as traças.

Outro erro sem sentido que recentemente ouvi falar foi a proibição do show do Charlie Brown Jr. para maiores de 21 anos em alguns lugares. Onde já se viu, a maioria dos fãs de Charlie Brown, os que realmente são fãs e não estão seguindo a recente modinha “Me Encontra/Só Os Loucos Sabem”, têm mais de 21 anos. É “uma puta falta de sacanagem” dos produtores de shows com os verdadeiros e antigos fãs da banda. A proibição se deve à uma invasão de uma casa de shows pela galera que queria assistir o show do Charlie Brown, houve um grande tumulto, pessoas pisoteadas e graças à isso a produtora foi repreendida, em consequência tomou a medida de só permitir menores de 21 anos, para agradar o governo.

Cinema

O apoio ao cinema e teatro também não é lá essas coisas, no teatro o povo só houve falar de peças quando são estreladas por algum ator da novela das oito. E o cinema então, é só dar uma olhada nos filmes nacionais mais vistos de todos os tempos, é quase tudo da Globo e nenhum é de uma produtora menos conhecida, com exceção da Zazen Filmes de Zé Padilha (Tropa de Elite 2), não lembro de qualquer filme não produzido pela Globo entre os mais vistos. Cadê o apoio a produção cinematográfica independente? E no teatro não existem apenas peças, mas espetáculos de humor como o conhecido “Casos Improváveis” (que convenhamos, na TV é um lixo) e noites de comédia stand-up, cade o apoio na divulgação e na criação de mais coisas como essas? Acredito que, principalmente, o apoio à produções independentes e de empresas menores deveriam receber alguma ajuda do governo, porque apesar de gostar muito de vários filmes nacionais, o cinema no Brasil ainda é muito pequeno, resumido e relativamente fraco. Não estou dizendo que o cinema nacional é ruim, mas digo que poucos filmes são lançados, e somente uma parcela destes filmes são bons, poucos têm temas atrativos, história bem escrita e principalmente, é uma área ainda meio que monopolizada por grandes empresas, lançando muitos filmes fúteis, como comédias românticas, filmes infantis e coisas muito momentâneas e mal feitas. Eu tenho certeza que isso mudaria com um apoio forte do governo brasileiro, e isso não seria apenas por diversão, mas também pela ecônomia. A indústria do cinema gera bilhões todos os anos, e o Brasil ainda não têm muita participação nisso, é pequeno na área, têm muito pouco destaque e já passou da hora do país tirar uma boa fatia desses bilhões gerados todos os anos. Pra você ter uma idéia, o cinema é a segunda indústria que mais fatura com entretenimento depois da indústria dos games.

Animes

E no anime muita coisa é censurada. Principalmente na Globo e SBT. Lembro de Samurai X que foi retalhado na Globo quando teve sua exibição há vários anos atrás. Quando os diretores de programação vão perceber que anime não é coisa de criança, mas de adolescentes e adultos? Se for pra cortar não exiba nos programas matinais infantis, melhor continuar passando Barney e Teletubbies então pra ver se suas audiências continuarão altas também. Se for por medo de ferir os pais hipócritas que reclamam de “violência”, “sexualidade” e humor “picante” por que não exibem os anitmes às cinco da manhã ao invés de ficar passando Gasparzinho, Luluzinha e outros desenhos antigos de madrugaada? Aliás, por que esses pais compraram uma TV, ao invés de dar carrinho e boneca para suas crianças então? É injusto que os fãs da cultura japonêsa paguem pela hipocrisia e imebecilidade de outras pessoas. Para ser exibido no SBT, Naruto por obrigação foi dublado com partes completamente desconexas em relação ao original, ficando sem sentido. Não sou contra dublagem, mas contra emissoras que obrigam os estúdios à fazerem adaptações erradas. Até mesmo as aberturas e encerramentos foram modificadas em Naruto, inclusive uma abertura falsa foi criada, além de falsa muito ruim, o encerramento mesmo na Cartoon Network se resumiu à um letreiro de créditos finais. Até coisas relevantes foram modificadas, como a técnica do bebado de Rock Lee, que deixou de existir, pois na adaptação a bebida álcoolica se tornou uma garrafa de remédio, que mal faria falar que aquilo era bebida? Quando Dragon Ball foi exibido na Globo alguns cortes idiotas foram feitos, coisas completamente inocentes, como Goku ou Bulma em cenas de nudez leve, pra quem já viu o original sabe que não é nada demais, também houveram cortes simplesmente por Goku falar sobre “bolas”. O anime é uma das formas de entretenimento que é mais desrespeitada, por ser confundido com “coisa pra criança”, sendo comparado à e considerado como mais um Tom e Jerry ou Pernalonga. Quando chega ao Brasil é exibido nos programas errados e graças à completa ignorância das empresas de televisão são sempre cortados, dublados com tradução errada e o seja lá que mais elas quiserem fazer com os animes, elas fazem. Parabenizo o extinto canal Game TV, que tinha comprado o Canal 21, por ter exibido animes no horário certo, conhecendo bem e respeitando seu público.

Televisão

A censura com certos programas da televisão também é injusta e nojenta. Falam tão mal de programas como Ratinho e o Teste de Fidelidade de João Kleber enquanto a Globo mostra o que quer. O programa Teste de Fidelidade teve de ser encerrado, João Kleber perdeu seu emprego e a Rede TV ficou dias fora do ar por conta de ações judiciais, enquanto a Globo ninguém tira do ar por um minuto se quer, mesmo com ela mostrando coisas muito mais pesadas do que o Teste de Fidelidade do João Kleber. Será que o governo ignora isso? Por que? Enquanto em outros canais, só porque alguns programas mostram testes de DNA, alguns mamilos através de camisetas molhadas e testes de fidelidade, dane-se eles, que fiquem dias fora do ar, enquanto a Globo mostra muito mais nudez, violência, palavrões e todo tipo de putaria na novela das oito e no Big Brother Brasil.

O Programa Login foi encerrado, também por culpa de políticos que não dão a mínima para cultura e ligam apenas para seus votos. Como todos sabem a TV Cultura pertence ao governo de São Paulo, em ano de eleições o governo resolveu acabar com os programas para os jovens, como o Programa Login e o Manos e Minas, mas com o encerramento houveram alguns protestos contra o fim do Manos e Minas e isso prorogou um pouco o fim do Programa Login. Tudo isso não adiantou em nada, pois no final das contas o Programa Login acabou para dar lugar à produções terceirizadas. Para quem nunca ouviu falar do Programa Login, era um programa que mostrava muita coisa da cultura jovem e da cultura pop, debatia, entrevistava e mostrava tudo relacionado à isso. Era um programa muito bom, o melhor que existia para os jovens, mas acabou por culpa de um partido que só quer ter seus políticos no poder, não importa como consiga os votos. Geraldo Alckmin e José Serra, que são do PSDB, estavam concorendo à governador e presidente, e como o PSDB controla o estado de São Paulo há mais de 16 anos, por medo de perder votos de seus candidatos resolveram voltar atrás no cancelamento do programa, porém foi temporário e o cancelamento apenas foi adiado para alguns dias depois. O eleitor só existe nas eleições, depois que se dane, não é?

No final das contas

Encerrando esta matéria, o que tenho à concluir é que o governo deveria investir mais em produção de cultura, como no cinema e nos games, como disse, são duas grandes indústrias. Nos filmes não ficar nesse clichê de só mostrar bandidos e coisas regionais, coisas que só interessam ao brasileiro ou muitas vezes nem mesmo ao brasileiro, porque têm muitos filmes nacionais que não sei quem é que assiste. O cinema brasileiro tem que produzir algo mais generalizado, mais global e que qualquer um, em qualquer lugar, tenha interesse de assistir, resumindo, tem que produzir blockbuster mesmo. Um exemplo é o sucesso que fazem os filmes americanos, britânicos, canadenses e japonêses, temos que ter dramas, comédias de qualidade, ação, animações ao estilo Pixar, fantasia, aventura, suspense, com efeitos especiais. Chega de filmes com “a rainha dos baixinhos”, um trapalhão aposentado, traficantes, bandidos, presídios e tudo isso que já enjuou, que já virou clichê DEMAIS, até porque um ou outro filme de violência, pobreza e criminalidade tudo bem, mas tantos filmes que só mostram o lado ruim do Brasil sujam a imagem do país lá fora. Com exceção de Tropa de Elite, o restante dos filmes não são tão bons e o orçamento poderia ter feito filmes melhores. A produção de jogos deveria receber um forte investimento, daria um bom retorno, mas fazer o que né, por enquanto vamos ter que se acostumar em ver apenas joguinhos bobos para celular sendo produzidos no Brasil, enquanto lá fora temos excelentes jogos sendo produzidos, como God of War, Assassin’s Creed e Modern Warfare. É por isso que sempre parece que estamos no passado enquanto vários lugares lá fora estão “mais no futuro”, é por isso que o Brasil ainda é subdesenvolvido e é por isso que muitos brasileiros falam mal de seu próprio país e preferiam estar em outro. Pois, como vamos gostar de um país que não tem destaque nenhum na área que nos interessa, que é a cultura pop, a cultura jovem e a cultura moderna, e não adianta vir falar que temos uma história e herança cultural linda, porque isso não interessa mais agora, afinal, não vivemos no passado, temos que desenvolver nossa cultura atual e não viver de lembranças. Até lá andaremos em carroças, enquanto o resto do mundo já terá seu carro.

É claro que posso estar errado, e se eu estiver me informe os erros comentando no post. Se tiver uma opinião contrária desejo debater sobre isso. Deixe seu comentário, seja você à favor ou contra, vamos conversar sobre isso.


Opinião de usuários